Oi!

Oi, quem é você?! Fiz esta pergunta recentemente enquanto me olhava no espelho. Não foi simples responder, não simples como deveria ser. Muitas das minhas respostas estavam erradas, é aí que as coisas mudam… Como um jogador que não conhece a si mesmo vence algum jogo? Quase impossível.

Enquanto me via no espelho parei pra pensar naquilo que fui na infância, naquilo que fui a alguns anos atrás e naquilo que fui ontem… As respostas foram aos poucos aparecendo, algumas acompanhadas de nuvem negra, outras de luzes.

Não gosto das certezas porque sempre podem se tornar incertas, mas em algumas coisas acredito com convicção: eu ainda estou no jogo, nem todas as cartas estão marcadas e eu já venci algumas fases que pareciam impossíveis. Ok, isso não é o suficiente, eu sei.

Eu passei uma boa parte dos últimos tempos tentando corrigir defeitos que considerava extremamente ruim, e quer saber? Não adiantou! Não resolveu tentar mudar enquanto a mudança ainda era só uma vontade, e não uma necessidade… Hoje quando olho pra mim vejo entre o ontem e o hoje uma mesma pessoa, com outras possibilidades e com outras coisas a buscar. E você? O que você vê aí, desse lado de dentro que ninguém mais pode ver?

Quando olho entre o ontem e o hoje vejo que algumas derrotas foram marcantes ao ponto de me fazer fortalecer e daí sim, as mudanças que eu tanto queria aconteceram… Porque a vida ensinou, porque o universo conspirou, porque eu me abri e joguei com vontade de vencer e quando não venci, ao menos sobrevivi. Mas as derrotas já foram, ficam ali no ontem e só lembrarei delas na próxima fase do jogo, afim de não cometer o mesmo erro.

E as partidas do jogo que venci? Algumas me pareciam fáceis demais, não exigiram lá muito esforço. Outras, porém, ainda me causam algum êxtase. Venci partidas de um jogo que muitas vezes foi cruel e as vezes tentador ao fracasso, resisti até o último instante e venci, algumas outras vezes só escapei como sobrevivente. Você não acha isso incrível? Quando a vontade de sobreviver a fase é maior que os conceitos de bom ou ruim que já existem por aí?

Quem sou eu?! Eu sou uma jogadora daquelas doidas, que às vezes tenta burlar algumas regras, que destrói alguns conceitos e muda de estratégias, mas nunca desiste.  Quer saber? Se estivermos jogando a mesma partida acho bom que você se esforce, eu não vou me render ao fracasso assim tão fácil se a vitória valer a pena, e se não valer? Eu abandono o jogo sem dar explicações e te deixo sem aquele gosto de vencer o quase invencível (é, não acredito nos invencíveis…).

Eu não sou mais a mesma, a vida e as minhas escolhas me tornaram assim, amanhã também já serei outra. Por hoje já sei o bastante sobre mim, amanhã terei que descobrir tudo de novo, eu mudo mais rápido do que posso compreender.

Já falei demais, preciso jogar mais uma grande partida hoje e acumular mais uma vitória, logo terei uma boa comemoração cheia de calor e insanidade… Nos encontramos no decorrer do jogo, quem sabe sejamos parceiros, não é?!

 

 

Anúncios

2 comentários

  1. Paty · outubro 11, 2010

    caracas! é isso aí.
    amei o texto e por mais tempo que passe, nós somos jogadoras!

    e o mundo é apenas uma mesa de carteado.

    beijos roxos e vermelhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s