hey buddy.

solidao

Escrevo pra te pedir, sem rodeios, que continue. Que continue vivendo, apesar de tantos e tantos pesares. Continue, pois nem eu, você ou algum outro sabe o que vem depois da curva. Te peço que continue por si mesmo, não por temer algum inferno ou almejar algum paraíso, nem pra poupar a dor de outros.

E se continuar por si mesmo parecer inútil e demasiado solitário, lembre que somos acima de tudo seres individuais. Esqueça essa romantização toda que fazem do mundo, vivemos como um todo, mas o segredo da paz talvez esteja em cuidarmos da melhor forma possível de nós mesmos. Acredite, quando somos inteiros – por pior que isso possa ser – já contribuímos para o todo.

Eu não sei o quanto te dói a vida, mas eu te afirmo que dar um tempo pode ser fundamental pra seguir adiante. Dar um tempo de tudo, inclusive das receitas prontas de superação: viajar, encontrar um hobby, reatar velhos laços, venerar algum deus ou ajudar aqueles que tem problemas julgados maiores que os seus. Deixe de procurar fora a solução para aquilo que você carrega aí dentro.

Por um tempo, esqueça das metas e sonhos, deixe-os na gaveta pra buscar depois. Concentre-se em viver o agora, sem passado e sem futuro. Concentre-se em sobreviver com o que tem, mesmo que seja apenas uma mente conturbada e um corpo cansado. Tome consciência de si mesmo no momento presente, sinta tudo que dói e que conforta, tudo que causa desespero e alívio. Abandone as ilusões, uma a uma: seus amigos não são responsáveis por você e tem de lidar com a própria vida, o amor não é lindo como nos filmes e causa dor em algum momento, ser popular não é ser amado e família não tem a obrigatoriedade de ser conforto sempre.

Ser feliz é relativo, nunca é uma obrigação, mas talvez seja uma escolha. Apenas continue. Sobreviva. Deixe-se apenas existir, e isso te dirá coisas absurdas sobre si mesmo. Não vai ser tão fácil, não vai ser lindo, não é um filme. Não vai ser tão difícil, não vai ser horrível, é a realidade.

Nessa hora você se pergunta com aquela ira latente “que diabo você pensa que é pra dizer isso?”, e eu gostaria apenas que soubesse que a navalha que te corta hoje, já rasgou outra pele. Já deixei de ser quem eu era e me tornei quem eu sou.

Coragem buddy, coragem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s